Como prevenir infecção por Covid-19 em animais

  • abril/2021
  • 1637 visualizações
  • Nenhum comentário

No fim de março, um gato foi a óbito após complicações causadas por Covid-19 em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul. Não foi a primeira vez que houve contágio do novo coronavírus em animais. No Brasil mesmo já haviam sido registrados casos em felinos e cães, chegando a onze contaminados até fevereiro.

Mundo afora, um dos casos mais conhecidos foi o do tigre do zoológico do Bronx, em Nova York – aparentemente, o primeiro animal a contrair o vírus. As contaminações em animais costumam ser raras e isoladas, mas podem desenvolver doenças respiratórias, gastrointestinais, neurológicas e hepáticas, dependendo da espécie.

A vacina em animais contra o Sars-Cov-2 é uma nova reposta a esses casos. De acordo com estudos feitos até agora, o principal objetivo da imunização é proteger espécies vulneráveis e evitar possíveis mutações virais.

Conheça o Programa de Atualização em Medicina Veterinária, desenvolvido em parceria com a Anclivepa.

Medidas de prevenção em animais de estimação

Os maiores cuidados devem ser feitos pelos tutores. A principal e mais indicada medida é evitar o contato com o pet, caso o indivíduo tenha alguma suspeita de contaminação. Nos passeios com cães, deve-se manter distanciamento de dois metros entre o animal e outras pessoas, e jamais indicar o uso de qualquer tipo de tecido ou máscara que cubra o focinho.

Sabe-se, por ora, que os felinos costumam ser hospedeiros silenciosos da Covid-19, podendo não apresentar sintomas. Entretanto, é preciso estar alerta aos seguintes indícios: dispneia, rouquidão ao vocalizar, tosse, hiporexia e perda de peso. Esses, aliás, foram os sinais evidenciados pela gata que morreu em março na Serra Gaúcha.

Não se recomenda testagem de Covid-19 em animais. A decisão de análise em cães ou gatos deve ser tomada por órgãos oficiais da saúde pública. Caso o animal apresente sintomas, o médico veterinário precisará eliminar antes as causas mais comuns desses indícios antes de considerar a realização do teste.

Caso o cão ou o gato testem positivo, as indicações são:

  • Sintomas leves: permanecer em casa sob cuidados dos tutores.
  • Sinais mais graves: a recomendação é de hospitalização.

Além disso, a orientação geral é de que o veterinário monitore as comunicações oficiais e científicas para estar sempre atualizado e a par das novas informações.

Nova vacina do Covid-19 em cães e gatos

A Rússia divulgou, no fim de março, a primeira vacina para animais no mundo, a Carnivac-Cov. Os testes mostram que o imunizante consegue gerar anticorpos contra o vírus em gatos, cães, raposas e visions – mamíferos do gênero Mustela. O começo das testagens começou em outubro do ano passado e, segundo a Agência Rosselkhoznadzor, a produção em massa pode começar ainda em abril.

Redação Secad
Matéria por

Redação Secad

O melhor conteúdo sobre a sua especialidade.

Deixe uma resposta

Tele-Vendas

(51) 3025.2597

Tele-Vendas Liga

Para você

Informações

(51) 3025.2550