Gestão de enfermagem: fique por dentro das principais questões da área

  • dezembro/2017
  • 14437 visualizações
  • Nenhum comentário
gestão em enfermagem

Nos currículos de graduação, a disciplina de administração está presente em todos os cursos de Gestão em Enfermagem, sejam eles públicos ou privados. Além disso, ainda segundo a doutora, “a educação permanente é uma estratégia adotada pelos serviços para o desenvolvimento da área.”

“Enfermeiros são formados para gerenciar”. Essas são as palavras de Vanda Elisa Andres Felli, doutora em Enfermagem e Professora Sênior da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (USP).

Apesar dos profissionais serem capacitados em sua graduação, nem todos assumem a postura necessária para a gestão e administração de pessoas e até cargos mais elevados, como a chefia de Unidades Básicas de Saúde (UBS). Enfermeiros gestores são pessoas que possuem grande senso de liderança e ampla compreensão sobre as finalidades e necessidades do seu trabalho.

Ser um profissional de Enfermagem requer atualização constante, afinal, questões como a sistematização do serviço de emergência, recursos humanos (como admissão, escalas e treinamento de pessoal) e protocolos clínicos (controle de infecções hospitalares e segurança, por exemplo) exigem que suas informações sejam revisadas, visando um serviço de alta qualidade e padrão técnico.

Se você é enfermeiro, ou pretende trabalhar na área de saúde, você não pode deixar de ler este post! Trouxemos aqui as principais tendências sobre a gestão de enfermagem para que você tenha um panorama do ramo. Confira!

Conheça a Atualização em Gestão de Enfermagem que possua uma boa referência, desenvolvida pela ABEn.

Como é o contexto atual da área?

Para o profissional experiente no mercado de gestão em Enfermagem, o maior desafio atual é referente a jornada de trabalho e aos salários.

A Enfermagem luta por décadas por um teto salarial, por 30 horas de trabalho e melhor qualidade de vida no serviço. Além das jornadas desgastantes pela falta de funcionários e pelos riscos à saúde, hoje o setor também sofre com o desemprego. “Somos mais de 2 milhões de trabalhadores, carentes por melhores salários e condições de trabalho”, relata Vanda.

Porém, ela também concorda que o cenário de trabalho da Enfermagem no Brasil é promissor, mas a atualidade é marcada por muitos desafios. Além disso, como avanço, ela enxerga uma maior conscientização e posicionamento político na defesa da classe, na luta por seus ideais e direitos.

Perante as dificuldades, o melhor caminho para se destacar é se manter atualizado na área. Com a rapidez da disseminação da informação nos mais diversos setores, não tem como os profissionais deixarem de reciclar seus conhecimentos, não acha?

Quais são as novidades e tendências para o setor de gestão em enfermagem?

Coaching como estratégia

Na área de saúde, a atuação dos profissionais se destaca, visto que é de suma importância para o bom suporte ao paciente. Para tanto, é preciso que toda a equipe seja bem orientada e treinada por seu líder, pessoa que possui a função de dar exemplos e também ditar as diretrizes do trabalho.

Um bom líder acredita que, por detrás de profissionais, existem seres humanos, com conhecimentos, competências, emoções e personalidades distintas. Desse modo, gerir uma equipe é um desafio, visto que o enfermeiro gestor precisa equilibrar as questões técnicas, burocráticas e também comportamentais.

Nesse sentido, passar por um processo de coaching para profissionais de saúde ajudará o gestor a desenvolver habilidades importantes. Isso porque, durante o treinamento, é possível identificar os pontos fortes e os que precisam ser melhorados, além de aprender novas técnicas, ferramentas e métodos para a gerência de pessoas. Ou seja, o coaching busca incrementar o desempenho dos indivíduos, por meio uma metodologia própria, sendo uma formação importante para quem exerce a liderança.

Tecnologias da informação, comunicação e gerenciamento em saúde

A informática, aliada à tecnologia, é uma ferramenta que auxilia o dia a dia de trabalho. O uso de computadores é cada vez mais frequente em hospitais e UBS, o que auxilia os profissionais no armazenamento e processamento de dados. A importância deve ser ressaltada para os softwares que auxiliam no gerenciamento em enfermagem e na implantação do Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP).

Outro exemplo é o planejamento da assistência informatizado, que auxilia os enfermeiros e demais membros da equipe na prescrição de cuidados e avaliação, além de ser um registro importante da assistência de enfermagem aos pacientes e clientes.

Podemos citar outras atividades informatizadas, como a escala de pessoal, avaliação de desempenho, controle de materiais e tantos outros.

Ao incorporar a tecnologia na gestão é possível equilibrar a humanização no atendimento, visto que o tempo usado para ele será reduzido. Desse modo, é possível maximizar a gestão e promover a melhoria e continuidade dos cuidados, além de dar mais visibilidade para a tomada de decisões do setor de enfermagem.

Atualização

De modo geral, podemos dizer que os cursos de graduação são formações mais “genéricas”. Sendo assim, o profissional que quer se destacar deve aprofundar conhecimentos na sua área de atuação. Isso porque cada setor exige aptidões específicas, que deverão ser o foco da procura e formação dos profissionais.

Além de clínicas, centros de saúde públicos e hospitais, são inúmeras as oportunidades de atuação dos enfermeiros, seja como empregados ou autônomos.

O gerenciamento, por exemplo, deve se adequar às diferentes áreas de atuação, embora os princípios sejam muito semelhantes. “A liderança do capital humano segue os mesmos princípios, independentemente do local de atuação”, explica Vanda.

Vale ressaltar também que a maioria dos concursos e processos seletivos exige informações aprofundadas em determinadas áreas, o que somente o curso de graduação em si não poderá oferecer.

Existem atualizações para gestores da área de saúde que objetivam um melhor atendimento aos pacientes, assim como podemos citar outras áreas de atuação que merecem capacitações específicas, entre elas:

  • setores de urgência e emergências;
  • saúde materna e neonatal;
  • saúde do adulto, da criança e do adolescente;
  • saúde da família;
  • terapia intensiva;
  • diagnósticos;
  • atenção primária.

Redação Secad
Matéria por

Redação Secad

O melhor conteúdo sobre a sua especialidade.

Deixe uma resposta

Tele-Vendas

(51) 3025.2597

Tele-Vendas Liga

Para você

Informações

(51) 3025.2550