Conheça algumas metodologias de estudo e veja a melhor para você!

  • janeiro/2018
  • 15432 visualizações
  • Nenhum comentário
metodologia de estudo

Conquistar uma profissão com estabilidade e salários vantajosos é o que a grande maioria das pessoas deseja. No entanto, uma vez dentro do mercado de atuação almejado, é preciso se manter atualizado sobre as tendências, novidades e exigências, aliando tudo isso a uma poderosa metodologia de estudo.

Desse modo, é possível ter um diferencial. Afinal, mesmo que a sua posição hoje seja favorável e promissora, podem existir outros profissionais mais qualificados, ou seja, que não pararam de estudar e se mantêm atualizados, prontos para substituir o seu lugar.

Assim, o interessante é aprender meios de absorver mais informações em menos tempo, mas, ainda assim, de forma qualificada. Isso porque trabalhar e estudar ao mesmo tempo podem tornar a sua rotina complicada. Desse modo, deve-se otimizar o tempo usando uma metodologia de estudo, a fim de ter um ganho mais rápido.

Saiba, então, neste post, qual é a melhor metodologia de estudo para favorecer as suas habilidades de forma atual. Confira!

Método de estudo Robinson

Esse método de estudo, muito apreciado em universidades americanas, consiste basicamente em uma só sigla: EPL2R, que representa os passos fundamentais de qualquer aprendizado: explorar, perguntar, ler, rememorar e repassar.

A primeira etapa, explorar, se baseia na ideia de descobrir o conteúdo do texto, artigo ou notícia de interesse. Deve-se ler sem compromisso, observando todos os aspectos, como a opinião do autor, suas finalidades e a mensagem final desse informativo.

Na fase de perguntas, deve-se anotar todas as dúvidas e questionamentos feitos durante a leitura. Assim, é possível descobrir suas respostas no final da metodologia, ou, se necessário, trocar informações com colegas da mesma área de atuação.

A terceira fase também propõe a leitura, no entanto, de forma mais aprofundada, visto que o leitor precisa identificar as partes importantes e fazer anotações.

Na quarta etapa, deve-se rememorar, ou seja, repassar os principais pontos mentalmente quantas vezes for necessário, a fim de solidificar o conteúdo. Já na última fase, repassar, consiste em uma análise completa de tudo o que foi estudado. Assim, é necessário repassar o conteúdo mentalmente e reler os resumos.

Sistema de anotações Cornell Notes

Desenvolvido pela Cornell University, o sistema Cornell Notes (ou Cornell Note-taking System) é uma metodologia cienífica de estudo que promete ajudar muito na hora de estudar e absorver informações, sendo ideal para anotações de aulas e palestras com grande fluxo de conteúdo.

A organização do método é simples. Separe uma folha para anotações e a divida em duas colunas e um espaço, no rodapé, para o resumo geral. É importante que a coluna da direita ocupe 3/4 da folha, visto que esse é o local para escrever frases sintéticas, objetivas e curtas. Desse modo, nesse espaço devem ser escritos as ideias mais importantes da exposição.

A coluna da esquerda serve para uma reflexão, ou seja, procure escrever os questionamentos e as palavras-chave que surgiram no processo. Já o espaço no rodapé, como dito, é para o resumo do conteúdo aprendido.

O método de Cornell indica o seguinte passo a passo para estimular a memória: após reler as anotações contidas no lado direito, tampe-o e tente dissertar e responder questões sobre o conteúdo com base nas palavras-chave e questionamentos escritos no lado esquerdo. Desse modo, é possível instigar a memória a relembrar as informações.

No entanto, é importante ter em mente que a memória deve ser estimulada várias vezes para, de fato, guardar as informações. Assim, separe cerca de 30 minutos diários para reler todas as suas notas e praticar.

Estudo intercalado

Nesse método, a pessoa mistura diferentes assuntos em uma mesma sessão de estudos. Isso porque, ao tentar lembrar de um tema visto, é possível acessar a memória de longo prazo e estimulá-la, o que ajuda a fixar o conteúdo.

Uma forma interessante de aplicar esse método é uni-lo a outros, ou seja, pegar os resumos derivados de outras formas de estudo e intercalá-los para revisão.

Mind Mapping Method

Pessoas que possuem memória visual podem ter grandes ganhos desenvolvendo mapas mentais. A teoria desse aprendizado tenta “copiar” o que acontece com as conexões cerebrais, a fim de tornar mais fácil a compreensão e a memorização do conteúdo.

Esse método, chamado gráfico, baseia-se em escrever ideias e estabelecer conexões entre elas, partindo de uma ideia principal.

O ideal é escolher uma folha grande e sem marcações, como as folhas A4 ou A3. No centro da folha, deve-se escrever a ideia principal, que pode ser o tema de uma aula, palestra ou notícia.

Depois, é preciso puxar elementos que se conectem diretamente com a ideia principal e escrevê-los à sua volta. Desse modo, podem ser criados subtópicos para aprofundar a aprendizagem. Além disso, unir as ideias que se conectam por meio de linhas ou setas ajudará no raciocínio das ideias.

Nesse método, é interessante usar palavras-chave, e não frases extensas. Uma folha muito cheia pode ficar poluída visualmente e atrapalhar a absorção do conteúdo.

Metodologia de estudo usando flashcards

A técnica de Flashcards, amplamente utilizada na Europa e nos Estados Unidos, ainda é pouco conhecida entre os brasileiros. Para confeccionar, basta cortar vários retângulos de papel, escrever uma pergunta em um lado e a resposta no verso.

Desse modo, ao ler a pergunta, deve-se tentar acertar a resposta escrita no verso, o que força a memorização e o aprendizado. Após estudar e montar as cartas, embaralhe-as e monte uma pilha. Assim, vá retirando uma a uma e tentando responder as perguntas.

No final, devem ter sido montadas três novas pilhas: a primeira, com as cartas que você acertou facilmente a resposta; a segunda, com as que você lembrou com dificuldade e precisam ser relembradas; e a terceira, com as cartas que você errou a resposta.

Desse modo, através de esta metodologia de estudo é possível saber o que foi absorvido pela memória e o que deve ser revisado para ser efetivamente guardado.

No entanto, a mestre em educação Daiana Rocha ressalta: “o importante é ter tudo isso organizado de maneira que possa facilitar a aprendizagem, e não desvirtuá-la ou distraí-la para outros contextos”.

Autoexplicação

Extremamente útil e simples, o método de autoexplicação consiste em, basicamente, explicar em voz alta para você mesmo tudo o que foi falado em algum conteúdo. Ele é especialmente usado para textos complexos e abstratos, uma vez que facilita o entendimento do informativo.

É importante ressaltar que as metodologias citadas são apenas sugestões de práticas, visto que cada aluno precisa identificar qual melhor se encaixa ao seu modo de estudos. A vantagem de se adaptar a alguma ou algumas dessas metodologias é acelerar o processo de insight do conteúdo e tornar o momento de estudos algo prazeroso e útil.

Outra dica preciosa, segundo Daiana, é a leitura do livro “Você sabe estudar?’’. Ele apresenta dicas de gestão de tempo, organização do ambiente de estudo e técnicas de preparação, o que é extremamente importante para um estudo mais produtivo e saudável.

Ademais, é essencial ter em mente que as metodologias só funcionarão se o ambiente for apropriado. Desse modo, ele precisa ser confortável, com luz e sonorização adequados. Assim, a associação da disciplina, do ambiente correto e das práticas eficientes de estudos propiciará ao aluno a absorção e o aprendizado de qualquer conteúdo.

E então, gostou de saber quais são as melhores metodologias de estudo para se atualizar para o mercado? Ficou inspirado? Então, aproveite e baixe nosso eBook grátis e se aprofunde no assunto!


Redação Secad
Matéria por

Redação Secad

O melhor conteúdo sobre a sua especialidade.

Deixe uma resposta

Tele-Vendas

(51) 3025.2597

Tele-Vendas Liga

Para você

Informações

(51) 3025.2550