Veterinária: três doenças comuns em animais de estimação

  • junho/2021
  • 1153 visualizações
  • Nenhum comentário

É comum que cães e gatos apresentem febre, vômito ou diarreia num dia, no outro, os sintomas desaparecem. Quando eles voltam, no entanto, podem revelar doenças que exigem atenção redobrada. Por isso, é importante conhecer as principais enfermidades veterinárias envolvendo pets.

Alergia alimentar

O quadro alérgico surge quando o organismo do animal reage a substâncias presentes nos alimentos ou até mesmo consumo de carne bovina. Os principais sintomas são coceiras, vermelhidão e feridas provocadas pela unha do animal.

São comuns, também, problemas gastrointestinais, como diarreia e vômitos. Um dos tratamentos requer formulações com o preparo de fármacos, rações e biscoitos especiais para regulação do organismo do animal.

Erlichiose (doença do carrapato)

Também conhecida como “doença do carrapato”, trata-se de uma infecção causada por bactérias do gênero ehrlichia. Costuma aparecer mais em cães do que em gatos. A enfermidade surge quando o parasita se alimenta do sangue de um hospedeiro infectado e, depois, de um cão saudável. Os sinais clínicos são alarmantes.

Na fase aguda, os animais apresentam febre, perda de peso, mucosas pálidas e secreção oculonasal. É comum os sintomas desparecerem por meses. A doença é considerada assintomática, inclusive, por conta do desaparecimento de indícios clínicos. Já no estágio crônico o cão apresenta apatia, tendência a hemorragias, caquexia, sensibilidade abdominal e sinais sugestivos de meningoencefalitis.

A terapêutica dependerá da etapa em que a doença se encontra. Derivados de tetraciclina são considerados tratamentos eficazes. O médico veterinário pode ministrar o uso de doxiciclina na dosagem de 10 mg/kg. A melhora costuma aparecer em três dias de terapia medicamentosa.

Insuficiência renal

Configura-se pela perda da capacidade do organismo de filtração pelos rins, causando retenção de ureia e creatinina no sangue. A doença pode ser causada pela idade avançada do animal, mas também por intoxicações graves.

Os sintomas mais presentes são anemia, vômito, perda de apetite e a urina muito clara. O aumento no consumo de água também é um indício. A enfermidade costuma levar a quadros mais sérios, como úlcera, pressão alta e até mesmo cegueira. O principal objetivo terapêutico é a normalização do equilíbrio hídrico, a fim de promover a formação de urina. Para isso, é preciso adotar uma dieta de suplementos de vitaminas para restabelecer os fluidos e eletrólitos no corpo do paciente.

Quer mais conteúdos da sua área? Conheça o Programa de Atualização em Medicina Veterináriadesenvolvido em parceria com a Associação

Redação Secad
Matéria por

Redação Secad

O melhor conteúdo sobre a sua especialidade.

Deixe uma resposta

Tele-Vendas

(51) 3025.2597

Tele-Vendas Liga

Para você

Informações

(51) 3025.2550