Como a TCC auxilia no tratamento da dependência tecnológica

  • setembro/2021
  • 304 visualizações
  • Nenhum comentário

Crianças, adultos, idosos. Não importa a idade nem a classe social, a dependência tecnológica e o uso abusivo de aparelhos conectados são uma realidade já estabelecida mundo afora. E a necessidade de distanciamento social na pandemia não ajudou a melhorar a situação. No entanto, o transtorno pode ser abordado com a aplicação de técnicas de terapia cognitivo-comportamental (TCC).

O Instituto Delete, vinculado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), avaliou a realidade da dependência tecnológica no Brasil por meio de uma pesquisa realizada entre novembro de 2020 e janeiro de 2021. Entre os 336 participantes, 49,1% informaram usar tecnologias durante mais de quatro horas diárias.

O ambiente virtual possibilita o acesso a aplicativos para qualquer finalidade e a qualquer momento. Entre as pessoas que perdem o controle sobre o uso dos dispositivos e se tornam dependentes, 29,5% ficavam nervosas por não poderem usá-los.

O uso além do nível saudável é justificado pela sensação de bem-estar, euforia e redução do prejuízo à saúde mental causado pela pandemia. A tecnologia seria uma forma de distração ou companhia para enfrentar o vazio da perda ou distância familiar, além de uma estratégia para melhorar o humor.

Sinais da dependência tecnológica

A dependência em tecnologia afeta o cotidiano e o bem-estar dos indivíduos, mas a própria pessoa afetada pode identificar os sinais da doença. São eles:

  • Prejuízo à execução de outras tarefas;
  • Perda da noção de tempo;
  • Alimentação inadequada;
  • Queda da dedicação ao trabalho;
  • Insônia;
  • Recusa de atividades como a prática de exercícios físicos, mesmo dentro de casa;
  • Indícios de ansiedade quando há queda da conexão com a internet;
  • Dores físicas;
  • Desinteresse pela própria família;
  • Perda ou o ganho de peso.

Estratégias adotadas na TCC

Uma vez identificada a ocorrência da dependência tecnológica, entram em cena as técnicas de terapia cognitivo-comportamental com o objetivo de abrandar ou solucionar o quadro clínico. O tratamento psicoterapêutico consiste na identificação e reformulação de pensamentos, crenças e hábitos disfuncionais.

A partir disso, o terapeuta analisa quais técnicas da TCC atendem à necessidade de cada paciente, de acordo com suas particularidades. As estratégias mais adotadas são:

  • Estimular o paciente a registrar seus pensamentos;
  • Orientá-lo a criar um diário das emoções;
  • Questionar o paciente nas sessões de terapia;
  • Ensiná-lo a treinar a comunicação para melhorar seu repertório e as habilidades conversacionais.

Conheça os Programas de Atualização em Terapia Cognitivo-comportamental, desenvolvido em parceria com a Federação Brasileira de Terapias Cognitivas.

Redação Secad
Matéria por

Redação Secad

O melhor conteúdo sobre a sua especialidade.

Deixe uma resposta

Tele-Vendas

(51) 3025.2597

Tele-Vendas Liga

Para você

Informações

(51) 3025.2550