Enfermagem: como a educação permanente qualifica a assistência

  • maio/2021
  • 1901 visualizações
  • Nenhum comentário

O conceito de lifelong learning está em evidência no mercado de trabalho. A expressão refere-se à educação continuada, prática cada vez mais adotada por indivíduos engajados em crescer profissionalmente. A estratégia também é adotada por empresas e instituições dispostas a qualificar seu quadro de colaboradores.

Na área da saúde, a atualização é também uma condicionante das legislações que regem os registros profissionais de cada especialidade. Em relação à enfermagem, a prática está atrelada, em especial, ao reconhecimento da profissão. Quem afirma é a professora Amália de Fátima Lucena, docente na Pós-Graduação em Ensino do Processo de Enfermagem, recém-lançada pela Artmed em parceria com a Associação Brasileira de Enfermagem (ABEn) e a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR).

“É pela assertiva aplicação do processo de enfermagem e de suas etapas que a profissão se torna visível no sistema de atendimento de saúde. Daí a importância da educação permanente, pois diz respeito à nossa identidade profissional”, destaca.

O Ministério da Saúde prevê a continuidade da qualificação profissional por meio da política pedagógica da Educação Permanente em Saúde (EPS). A estratégia baseia-se na aprendizagem sob a perspectiva de transformação das práticas profissionais. Fatores como autonomia, cidadania e aprendizagem voltada à prática estão entre os pilares da EPS.

Como manter-se atualizado

Antes da pandemia, os congressos se destacavam entre os maiores vetores de atualização em saúde. No entanto, as restrições impostas pelo distanciamento social mudaram radicalmente esse cenário, abrindo espaço às lives e webinares. Nesse contexto, a educação continuada a distância avançou a ponto de se tornar uma das modalidades de qualificação mais procuradas.

A busca por diferentes modalidades de aprendizagem depende, em boa parte, da adesão autônoma dos profissionais de saúde. Ainda assim, mesmo com o mercado aquecido, alguns obstáculos vinculados à educação permanente precisam ser vencidos. “Muitos desafios estão ligados a questões organizacionais das instituições, principalmente em relação ao dimensionamento e à carga horária”, destaca a professora.

Na opinião de Lucena, a pouca valorização da enfermagem afeta a autoestima dos profissionais e, de quebra, limita a ascensão e a busca por aprimoramento. “A educação permanente também depende do papel institucional, inclusive nos âmbitos do Sistema Único de Saúde e da rede privada, que deve perceber e oportunizar a necessidade de qualificação como forma de reconhecimento social da profissão”, acrescenta.

Logo, a implantação de programas de qualificação profissional continuada nos serviços de saúde é considerada fundamental. Aqui, além da oferta de educação permanente, é necessário a avaliação regular de seus resultados sobre a assistência. “Obviamente, trata-se de uma iniciativa positiva, mas os indicadores de qualidade também precisam demonstrar essa evolução.”

Educação permanente na enfermagem

O levantamento Perfil da Enfermagem no Brasil, realizado pelo Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), ouviu quase 36 mil trabalhadores da área. Trata-se de uma amostra estratificada dos mais de 1,5 milhão de profissionais registrados no Brasil.

Do total de participantes, 80,1% declararam ter feito ou estarem fazendo cursos de pós-graduação. A

lém disso, a especialização é a modalidade mais procurada, chegando a 72,8% do público, seguida pelos mestrados (14,5%). Já os programas de residência abarcam apenas 7,5% dos profissionais.

O Censo da Educação Superior 2019 demonstra  aumento no interesse por cursos do setor. Entre as dez graduações presenciais com maior número de matrículas em instituições privadas, quatro são da saúde. Já entre as áreas com mais ingressantes no ensino superior em 2019, segundo a consultoria Educa Insights, 28% são da área de Negócios. Em seguida, aparecem os cursos da Saúde, com 23%, e de Educação, com 20%.

Quer ter destaque na área investindo na educação continuada? Conheça as Pós-graduações Artmed em Enfermagem, desenvolvidas em parceria com a ABEn e a PUCPR.

Redação Secad
Matéria por

Redação Secad

O melhor conteúdo sobre a sua especialidade.

Deixe uma resposta

Tele-Vendas

(51) 3025.2597

Tele-Vendas Liga

Para você

Informações

(51) 3025.2550